PUBLICAÇÕES



NEWSLETTER
Receba as nossas novidades por e-mail! Clique aqui.

Geral - 12/06/2017

Para onde sopram os ventos da Reforma?

Síntese: O Autor vislumbra um horizonte epistemológico complexo quando se refere ao termo Reforma. Em função disso, o artigo é um convite para ouvir as direções apontadas pelas espiritualidades e utopias que o termo pode carregar, despertar e inspirar. Para este ensaio, propõe três chaves de leitura: a crítica a Lutero e a Calvino, a história como permanente exercício de interpretação, e a relação entre Reforma e espiritualidade. Portanto, o Autor não se limita ao contexto da Reforma protestante do século XVI, mas, admitindo que “o vento sopra onde quer”, vislumbra a pertinência prática e teológica do pluralismo e da sexualidade humana no mundo atual. Em função disso, trata-se de ressaltar em que sentido as espiritualidades dos movimentos de reforma do passado habitam de forma criativa e propositiva os entre-lugares da cultura e mobilizam o pensamento e o agir humanos.

Palavras-chave: Epistemologia. Reforma. Espiritualidade. Dinamismo histórico. Liberdade.

Abstract: The author glimpses at a complex epistemological horizon when referring to the term Reform. In view of this, the article is an invitation to hear the directions pointed by the spiritualities and utopias that the term may carry, awake and inspire. For this essay, he proposes three reading keys: the critique of Luther and Calvin, History as a permanent exercise of interpretation, and the relation between Reform and spirituality. The author, therefore, does not limit himself to the context of the 16th century Protestant Reform, but, accepting that “the wind blows wherever it wants” glimpses at the practical and theological pertinence of pluralism and of human sexuality in the present world. Therefore, the article emphasizes the sense in which the spiritualities of the past reform movements inhabit in a creative and intentional form the in-between places of the culture and mobilize human thoughts and actions.

Keywords: Epistemology. Reform. Spirituality. Historical dynamism. Freedom.

Pelo Prof. Dr. Claudio de Oliveira Ribeiro

São Paulo, SP



Compartilhe: