PUBLICAÇÕES



NEWSLETTER
Receba as nossas novidades por e-mail! Clique aqui.

Geral - 12/06/2017

Análise institucional “no papel” do Movimento Renovação Carismática Católica

Síntese: Esta pesquisa propõe uma Análise Institucional (AI) “no papel”, do movimento religioso Renovação Carismática Católica (RCC), que surgiu dentro da Igreja Católica a partir de 1967 e que se expandiu amplamente, marcando forte presença no Brasil, e de modo particular no Estado de São Paulo. Neste artigo, apresentamos uma possibilidade de leitura paradigmática que permite contextualizar o movimento da RCC no cenário eclesial católico. Essa modalidade de análise foi realizada apenas a partir de revisão bibliográfica e análise documental, operando a partir de uma grade conceitual da AI e de estudos acadêmicos do campo da Psicologia Social que se ocupam com fenômenos religiosos. Podemos considerar que a RCC, bem como seu modo de funcionamento institucional, está alinhado com o Paradigma Romano, que é hegemônico no contexto eclesial católico.

Palavras-chave: Psicologia social. Análise institucional. Renovação carismática católica. Paradigmas eclesiais.

Abstract: This research proposes an Institutional Analysis (IA) “on paper” of the Catholic Charismatic Renovation (CCR) movement, which emerged in the Catholic Church in 1967 and has greatly expanded, marking strong presence in Brazil, and particularly in the State of São Paulo. In this paper, we present the possibility of a paradigmatic reading that allows to contextualize the CCR movement in the ecclesiastical scenario. This type of analysis was performed only from literature review and documentational analysis, operating from a conceptual grid of IA and academic studies in the field of social psychology dealing with religious phenomena. We can consider that the CCR, as well as its mode of institutional operation, is aligned with the Roman Paradigm, which is hegemonic in the Catholic ecclesiastical context.

Keywords: Social psychology. Institutional analysis. Catholic charismatic renovation. Ecclesiastical paradigms.

 

Pelo Prof. Dr. Sílvio José Benelli

Gr. Samuel Iauany Martins Silva Assis, SP



Compartilhe: